Entrevistas

Wendel de Souza, diretor geral de Operações Comerciais da Unigel, fala sobre o cenário de fertilizantes no Brasil

Diante da retomada de produção de fertilizantes da Unigel, estratégica produtora nacional, entrevistamos Wendel Oliveira de Souza, diretor geral de Operações Comerciais da Unigel para saber mais a respeito.

[GlobalFert] No Brasil somos muito dependentes da importação de fertilizantes NPK. Como a Unigel enxerga a importância da indústria nacional para a fabricação de nitrogenados no Brasil?

O Brasil é um dos maiores produtores agrícolas do mundo e, consequentemente, um dos grandes consumidores de fertilizantes. Apesar disto, em 2020 a oferta nacional de fertilizantes representou apenas 16% da oferta total. Para fins de comparação, em 2009 a oferta nacional foi de 43%, ou seja, a participação nacional tem diminuído ano após ano. Os motivos para esta situação são diversos: falta de isonomia tributária, privilegiando o material importado; alto preço de gás natural (base dos fertilizantes nitrogenados); baixa pesquisa geológica para aumentar a mineração de fósforo; falta de regulamentação para exploração do potássio existente na Amazônia; entre outras tantas. Assim, a capacidade produtiva brasileira fica estagnada ou até mesmo em declínio enquanto a demanda por fertilizante cresce vigorosamente. Recentemente, por conta da pandemia que modificou fortemente o fluxo internacional de mercadorias, observou-se com preocupação a possibilidade de o país não receber fertilizantes importados por problemas logísticos ou de produção em outros países, colocando em risco a produção agrícola brasileira.

Recentemente, algumas adversidades de longa data começaram a ser finalmente resolvidas, gerando potencial de melhorar o ambiente doméstico para aumento de produção em médio e longo prazo. Entre elas estão: a recente modificação no Convênio 100, aprovada este ano pelo CONFAZ e que endereça a isonomia tributária entre produção nacional e importação; a criação pelo governo federal de um Plano Nacional de Fertilizantes para fomentar a produção nacional; e a aprovação da lei do gás natural, que tem potencial de atrair novos investidores e assim baixar o preço deste insumo.

Na Unigel, estamos focados na retomada da produção nacional de nitrogenados, que utiliza o gás natural como matéria-prima e não envolve etapas de mineração. Os processos produtivos são similares aos que estamos habituados em nossos 55 anos de história como uma das maiores indústrias químicas do Brasil. Com a entrada em operação das fábricas de Sergipe e da Bahia, temos o potencial de aumentar a produção brasileira em 25% sobre o volume nacional ofertado em 2020. Se particularizarmos apenas nos nitrogenados, o impacto desta retomada pode chegar a quase 3 vezes mais sobre o volume produzido localmente em 2020. Assim, poderemos garantir uma maior estabilidade de fornecimento para a crescente demanda dos agricultores brasileiros fornecendo ureia agrícola granulada e perolada. Além disto, é importante mencionar que a Unigel também produzirá ureia para alimentação animal, ureia para produção de ARLA e para outros fins industriais.

[GlobalFert] Com a retomada de produção da Unigel, qual a expectativa para comercialização no país para o setor de fertilizantes? Existem parceiros comerciais ou centros de distribuição?

A Unigel iniciou a produção de ureia em abril na unidade de Laranjeiras/SE e em julho na unidade de Camaçari/BA. Desde então, temos tido boa aceitação dos clientes para aquisição dos nossos produtos. A estratégia definida foi a de sermos uma opção de compra para os misturadores, substituindo assim as importações realizadas por estes, principalmente na nossa região de influência.

[GlobalFert] Quais os gargalos/dificuldades de produção de fertilizantes nitrogenados no Brasil?

Existem diversos problemas, como os já citados, mas nenhum deles é tão relevante como o preço do gás natural. Para se ter ideia da importância deste insumo, recentemente diversos produtores europeus interromperam suas produções de amônia e dos fertilizantes nitrogenados causado pelo abrupto aumento do gás natural naquela região. No Brasil, convivemos com preços elevados a todo tempo. Resolver definitivamente este item pode representar no aumento da produção de fertilizantes nitrogenados no nosso país.

[GlobalFert] Quais as principais culturas que a Unigel espera atender com a produção de Ureia, Amônia e Sulfato de Amônio?

Pela região onde as nossas fábricas estão localizadas, as principais culturas a serem atendidas pelos nossos produtos são algodão, milho, café e cana de açúcar. Também temos expectativas de atender hortifruti e pastagens.

[GlobalFert] A situação de pandemia agitou o segmento de fertilizantes. Como a Unigel se viu impactada nesse cenário?

Tivemos reflexos causados pela pandemia principalmente no 2º trimestre de 2020. Do 3º trimestre de 2020 em diante, a demanda pelos nossos produtos se normalizou e eu diria que, exceto pela logística internacional que ainda está impondo dificuldades em todo mundo, estamos vivenciando dias normais no ambiente de negócios.

[GlobalFert] Qual a importância dos contratos de Gás Natural firmados pela Unigel para produção de fertilizantes?

Gás natural é o principal insumo na produção de fertilizantes nitrogenados. Fechar um bom contrato de gás dá tranquilidade para planejar novos produtos e buscar eficiência operacional nas nossas operações.

[GlobalFert] Qual a importância dos estados de Sergipe e Bahia para o cenário nacional de fertilizantes?

Tanto o estado da Bahia como de Sergipe foram essenciais para a retomada da produção de amônia e ureia pela Unigel. Os agentes públicos foram incansáveis em destravar diversos itens que geravam ineficiência na operação e fizeram todo o possível para conceder a Unigel um ambiente favorável para encarar esta empreitada.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − 18 =

Botão Voltar ao topo