Brasil procura diversificar comércio com a Rússia, incluindo o intercâmbio de tecnologia na produção de fertilizantes


Segundo Almir Ribeiro Américo, da agência de exportação ApexBrasil, o Brasil vai procurar diversificar a cooperação com a Rússia, incluindo o intercâmbio de tecnologia na produção de carne e fertilizantes.

“Estamos prestes a desenvolver setores que ainda não estão representados na Rússia. Para isso, fazemos projetos todos os anos, como a apresentação do segundo maior stand da feira Prodeexpo-2018”, disse o especialista à Prensa Latina. 

Em relação à cooperação entre o Brasil e a Rússia, em termos de tecnologia na produção de carne, Ribeiro Américo reconheceu que o Brasil fez progressos significativos nessa área. 

Antes o Brasil exportava quase um milhão de toneladas de carne para a Rússia. Agora, a Rússia importa um volume de pouco mais de 700 mil toneladas de todos os países, não apenas do Brasil, disse ele.

A produção russa de carne cresceu muito e há grandes investimentos governamentais neste ramo e, nesse caso, é claro que ele precisará de equipamentos e tecnologia, bem como o conhecimento para produzir carne de alta qualidade e para controles sanitários. 

"O Brasil é um dos maiores importadores de fertilizantes do mundo, mas falta um volume suficiente de fertilizantes", afirmou o chefe da representação da ApexBrasil na Europa. 

"Nosso país estaria interessado em investimentos do gigante euro-asiático no campo da fabricação de fertilizantes. Esperamos que a Rússia possa contribuir com investimentos para a produção nesta área, com uma demanda quase infinita no Brasil". 

"Nós exportamos para a Rússia carne, açúcar, café, soja e tabaco, enquanto importamos fertilizantes, produtos químicos e produtos petrolíferos" explicou Ribeiro. 

 

Prensa Latina, 06/02/2018



Cadastre-se e receba semanalmente e gratuitamente direto em seu e-mail a Newsletter do GlobalFert.



© 2018 GlobalFert - Todos os direitos reservados

Principal provedor de informações
estratégicas no mercado de fertilizantes