Culturas

Agricultura melhora, mas ainda há queda

O agronegócio da agricultura apresentou pequena variação positiva de 0,02% em maio de 2014, reduzindo a queda no acumulado dos primeiros cinco meses do ano para 0,35%. Até abril, a retração era de 0,72%.

Desde fevereiro o segmento da agricultura vem registrando pequenas altas. O pequeno incremento observado em maio se deve, principalmente, ao desempenho dos insumos, que cresceram 0,65%. Nesse setor, o bom desempenho se deve à valorização dos grupos de combustíveis e lubrificantes e adubos, fertilizantes e corretivos de solo, que apresentaram alta no faturamento de 6,83% e 6,8%, respectivamente. O segmento básico (dentro da porteira) manteve-se praticamente estável, com alta de 0,05%, enquanto indústria (-0,04%) e distribuição (-0,02%) apresentaram leve declínio.

Dentre os produtos agrícolas que compõem os resultados do segmento básico, o café, principal item do agronegócio mineiro, encerrou os cinco primeiros meses de 2014 com estimativa de queda de 12,7% na produção, o que elevou os preços em 18,1%, fazendo com que o faturamento ficasse 3,1% superior.

Em relação à soja, a elevação dos preços (9,55%) sustentou o resultado positivo do setor até maio (6,81%), enquanto a expectativa anual para a quantidade produzida ainda registra decréscimo de (2,51%).

O faturamento com o algodão foi 7,78% maior para o ano, promovido pela elevação de 3,40% nas cotações e de 4,24% em volume. De acordo com pesquisadores do Cepea, apesar da alta acumulada desde o início do ano, a cotação do algodão em pluma caiu novamente em maio. A pressão veio da qualidade inferior dos lotes, devido à proximidade do final da safra 2012/13 e do baixo interesse de compra das indústrias.

Para o milho, preço e produção apresentaram queda de 6,28% e 6,53%, respectivamente. Segundo o Cepea, a proximidade da finalização da colheita de milho de primeira safra e o bom desenvolvimento das lavouras de segunda temporada pressionaram as cotações internas do grão em maio.

Em relação à cana-de-açúcar, estima-se queda de 2,88% na produção anual e recuo de 6,68% nos preços, com isso, o faturamento ficará 9,37% menor.

As demais culturas mineiras analisadas apresentaram retração na expectativa de faturamento anual: feijão (-40,44%); batata-inglesa (-36%); tomate (-10,14%); banana (-10,43%); arroz (-8,22%) e carvão vegetal (-0,9%). Para feijão e tomate, a queda se deve à desvalorização dos preços, enquanto para arroz e carvão vegetal, a baixa foi motivada pela menor produção. As demais culturas apresentam recuos nesses dois aspectos.

Diário do Comércio, 19/08/2014

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo