Culturas

Campus Experimental em Araguari ajuda a melhorar produtividade

Criado pelos cafeicultores de Araguari há quatro anos, o Campus Experimental Izidoro Bronzi tem permitido a realização de testes na produção do grão, que mostram as melhores formas para os agricultores elevarem a produtividade, especialmente em momentos de crise como o atual. O campus faz parte do Procafé (Programa Integrado de Apoio à Tecnologia Cafeeira) e não recebe subsídios governamentais, embora os resultados sejam reconhecidos pelo Estado de Minas Gerais e pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Fazenda no município de Araguari, onde são feitos testes para produção, faz parte do Procafé (Foto: Cleiton Borges)

De acordo com o engenheiro agrônomo do Mapa Roberto Santinato, pesquisador da área de café, entre os estudos feitos está o que possibilita reduzir em 25% a 30% o custo com adubos minerais. “Mostramos que com o uso de adubo orgânico, formado pela palha de café e estercos de galinha e de peru, diminuímos em 35% a aplicação de adubo mineral.”

Segundo o gerente técnico de pesquisa do campus, Reginaldo Oliveira da Silva, outro trabalho desenvolvido no campus consiste em intercalar as culturas. “É possível plantar em uma mesma propriedade, com o café, cenoura, tomate, pimentão, couve-flor e vagem. Isso oferece um novo ganho para quem cultiva esses produtos”, disse. “Resultados de ações como essas estão disponíveis para qualquer agricultor”, afirmou o diretor administrativo da Associação dos Cafeicultores de Araguari (ACA), Sérgio Segantini Bronzi, que também é conselheiro fiscal da Cooperativa dos Cafeicultores do Cerrado e arrendou parte de sua terra para a instalação do campus experimental.

Correio de Uberlândia, 10/11/2013

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo