Culturas

Investimento em fertilizantes deve aumentar em 25,1% a produção de grãos no Brasil, prevê IBGE

Pela 6ª vez consecutiva, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aumentou a estimativa de colheita da safra de grãos para 2017. A previsão é de uma supersafra de 230,3 milhões de toneladas, o que representa um aumento de 25,1% em relação ao ano passado. A expansão da produção agrícola é uma das apostas para a recuperação da economia brasileira. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (11), em Cuiabá.

Na primeira estimativa para a safra de 2017, divulgada em novembro de 2016, a previsão era aumento de 13,9% e, em março, esse percentual evoluiu para 21,8% maior do que a de 2016. Em 2016, o país colheu 184 milhões de toneladas de grãos.

A maior parte da produção nacional no setor neste ano deverá ser de soja, arroz e milho que, somados, deverão corresponder a 93,5% total produzido. Mato Grosso deverá continuar sendo o maior produtor do país, responsável por 25,3% do total. Em segundo e terceiro lugar vêm o Paraná, com 18,3% e o Rio Grande do Sul (14,8%).

Segundo dados do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, a estimativa de área a ser colhida neste ano é de 60,7 milhões de hectares, o que representa 6,3% a mais em relação a 2016.

Em relação à soja, a expectativa de safra recorde no Brasil está confirmada, com produção estimada em 110,9 milhões de toneladas e ainda em crescimento. Os produtores de Mato Grosso são responsáveis por 27,9% de toda a soja produzida no país.

Para o IBGE, o aumento na produtividade de grãos nacional é devido principalmente às condições climáticas, com chuvas nos estados produtores desde a época do plantio, em outubro de 2016. Outro fator que deve ser levado em conta é o investimento em tecnologia por parte dos produtores.

“Este ano realmente o clima foi o principal motivo para o crescimento da safra. Tivemos um clima excelente. Mas também estamos comparando com o anterior no qual tivemos o problema da seca, que afetou muito a produção nos estados. Existem também avanços tecnológicos, a cada ano o produtor investe mais em tecnologia, e este ano não foi diferente”, disse Carlos Alfredo Guedes, gerente do LSPA, que citou produtos como fertilizantes e de controle de pagras como exemplos de recursos usados pelos produtores.

Desde o ano passado, quando começou a ser feita a previsão para a safra de grãos para 2017, a estimativa de produção tem apresentado crescimento. O primeiro prognóstico, divulgado em novembro de 2016, previa crescimento de 13,9% da produção de cereais, leguminosas e oleaginosas.

As condições climáticas são o principal fator atribuído ao resultado positivo. As chuvas foram bem distribuídas nos estados produtores desde o início do plantio em outubro do ano passado, segundo o IBGE.

 

G1, 11/04/2017

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo