Culturas

Produtores do oeste da Bahia planejam reduzir custos

Os produtores do oeste da Bahia já vêm buscando, há algum tempo, alternativas para o transporte de suas commodities. O objetivo, claro, é reduzir o custo logístico, maior nas culturas de soja, milho e algodão.

Há cinco anos, o transporte de carga exportada de soja, que acontecia no Porto de Ilhéus, foi transferido para o de Salvador.

O presidente da Aiba, Julio Busato, diz que a motivação para a troca foi a falta de carga de retorno em Ilhéus. E, ao contrário do que acontece agora com o algodão, o porto da capital já possuía rota para carga de granel.

Com o envio da soja por Salvador, os produtores conseguiram economizar cerca de 30% nos custos com fertilizantes, insumos que chegam por navio e passaram a ser transportados ao oeste pelos caminhões que levam os grãos ao porto.

Para otimizar a operação de exportação do algodão pela Bahia, os produtores estão considerando adotar a mesma prática de transporte de fertilizantes feita na soja, diz Julio Busato.

A Tarde, 16/12/2014

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo