Culturas

Rondônia deve colher 4 milhões de sacas de café clonal até 2019 devido a boa adubação

O estado de Rondônia deve produzir até 2019 cerca de 4 milhões de sacas de café clonal. Em 2011, a região estava com uma marca de 800 sacas colhidas. Segundo o presidente estadual da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Rondônia (Emater/RO), Francisco Mendes Sá, todos os anos estão indo para o campo 10 milhões de mudas da espécie. 

Para esse ano, a expectativa é de que o estado produza aproximadamente dois milhões de sacas de café, um aumento de mais de 150% de produção nos últimos cinco anos, graças a um conjunto de tecnificações implantadas nas lavouras pelos produtores, como adubação, uso de calcário, sistema de irrigação e poda. 

De acordo com o extensionista da Emater de Cacoal, Wesley Gama, o município tem aproximadamente 4,5 mil propriedades rurais, onde cerca de 950 cultivam o café clonal – espécie que está sendo favorecida com o uso de tecnologias nas áreas de plantações. Ao que tudo indica, a seleção das mudas foi um dos fatores que mais contribuiu para o aumento do rendimento, pois “antes o café era plantado por sementes e muitas vezes não possuía material genético bom, com o tempo a tecnologia da técnica clonal tornou as plantas mais produtivas”. 

Apesar da Emater oferecer apoio ao agricultor com os Dias de Campo, ainda existem cafeicultores que preferem trabalhar com os métodos tradicionais. Para o presidente do órgão,o trabalho da empresa é voltado à assistência técnica de forma social, ambiental e econômica, levando tecnologia ao campo e melhoria de vida ao produtor rural. 

 

Cenário MT, 20/06/2017

 

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo