Culturas

Uso adequado de fertilizantes melhora a produtividade do milho

A região Sul do Brasil colheu boas notícias na primeira safra 2016/2017. O clima se comportou do jeitinho que o milho gosta. Noites mais frias, com temperaturas em torno de 15 a 18 graus e a baixa incidência de pragas garantiram uma safra cheia. Mas, além da boa produção, foi a festa da produtividade, com colheitas acima de 200 sacas por hectare em inúmeras fazendas.

O recorde de produtividade, porém, não foi um presente do acaso. Isso é resultado do manejo cuidadoso de produtores que investem para valer e não se cansam de perseguir metas cada vez mais ousadas. “Eu acho que não tem limite para a produtividade”, afirma o produtor Avelino Ricardo Menegaz. Ele produz soja e milho na fazenda Idalina, com um total de 305 hectares em Jacutinga, no Rio Grande do Sul. Ele plantou milho em 60 hectares irrigados por pivô e em 25 hectares de sequeiro. O produtor finalizou a colheita com uma produtividade média de 290 sacas por hectare na área irrigada. “Eu sei que as sementes têm tecnologia para isso, mas eu esperava chegar nessa produtividade em três anos. Esse resultado veio antes e foi uma surpresa”, diz Menegaz.

O planejamento foi fundamental para atingir a produtividade recorde. “Eu venho fazendo correções de solo nessa área há um bom tempo”, diz. Durante o ciclo, Menegaz irrigou 150 mililitros, realizou uma aplicação para controle de percevejo e duas aplicações de fungicidas.

Cultivares testadas

Do total de 60 hectares irrigados, foram 25 hectares plantados com a cultivar Dekalb230. A densidade foi de 90 mil plantas por hectare e colheita de 290 sacas por hectare. “Esse é um material novo e foi o que mais gostei. Acredito que se tivesse ficado com densidade de 94 mil plantas, eu chegaria à produtividade de 300 sacas por hectare”, conta o produtor.

Ele cultivou também as sementes Pioneer 1630 em 27 hectares irrigados, com 84 mil plantas por hectare, que renderam 292 sacas por hectare. Outra semente escolhida foi a Pioneer 30F53, cultivada em 8 hectares irrigados, com densidade de 84 mil plantas e produtividade de 284 sacas por hectare. “Os resultados das três sementes foram bem parecidos”, diz Menegaz. Já na área de sequeiro, Menegaz plantou as sementes Pioneer 30F53 e Agroceres 9025. Sem a irrigação, a produtividade média foi de 232 sacas por hectare. “Nessa área, o resultado ficou dentro da média que eu já conseguia”, conta o agricultor.

Adubação diferente

Na safra 2016/2017, por meio da análise de solo, o produtor conta que fez correções e uma adubação diferente na área de milho. “Fiz uma aplicação a lanço de 280 quilos de cloreto de potássio por hectare, 30 dias antes plantar, e apliquei 50 quilos de enxofre por hectare. Depois, na linha de plantio eu coloquei 380 quilos de Dap”, conta o produtor. “Depois que o milho nasceu, eu coloquei 600 quilos de ureia por hectare, com três aplicações de 200 quilos cada.”

 

SF Agro, 16/05/2017

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo