Colunistas

Unigel – Mercado de Ureia no Brasil: desafios e oportunidades

Por João Eduardo Luz de Almeida – Diretor Comercial Unigel Agro

Neste ano, a Unigel retomou a produção de fertilizantes nitrogenados no Brasil ao reativar as fábricas de Laranjeiras (SE) e Camaçari (BA), ambas arrendadas da Petrobras. Com isso, nos tornamos produtores de ureia no exato momento em que o mundo vive uma escassez de fertilizantes. Grandes fornecedores, como China, Rússia e Turquia, restringiram seus volumes de exportação, o que trouxe insegurança para o mercado global. Neste contexto, a retomada da produção nacional de fertilizantes nitrogenados acontece em um momento de extrema importância para a produção agrícola brasileira e mostra que, cada vez mais, nosso país precisa reduzir a dependência das importações, que hoje representam 85% do volume utilizado em nossas lavouras.

Ciente do desafio, o governo brasileiro está trabalhando de forma muito inteligente em um Plano Nacional de Fertilizantes. Não custa lembrar que o Brasil alimenta 1 bilhão de pessoas ao redor do planeta. Em 2020, o Brasil consumiu 7,5 milhões de toneladas de ureia em 2020, sendo que 88% deste volume foi de ureia fertilizante, 4% de ureia industrial, 3% de ureia pecuária, 2% de ureia automotiva e 3% para outros usos. A Unigel tem a capacidade de produzir 1,15 milhão de toneladas de ureia anualmente, o que representa apenas 15% do mercado brasileiro de ureia, mas já endereça parte dos desafios enfrentados pela cadeia produtiva do agronegócio.

Em 2020, os países de origem das importações de ureia foram: Catar (27% do volume importado), Argélia (22%), Rússia (19%), Irã (7%), Nigéria (6%), Arábia Saudita (4%), Omã (4%) e Turcomenistão (3%). Outros países representaram 8% do volume total importado.

Ureia pecuária e industrial

Um ponto de atenção no mercado brasileiro é a utilização indevida de ureia fertilizante em usos pecuários. Em 2020, 232 mil toneladas de ureia pecuária, produzida especialmente para a alimentação de bovinos, sem o CUF (concentrado ureia formol) em sua composição, foram consumidas no Brasil. Porém, estima-se que outras 500 mil toneladas de ureia fertilizante, com CUF, são utilizadas anualmente para a alimentação de bovinos, de forma inadequada. É de suma importância termos consciência da utilização da ureia pecuária, e não da ureia fertilizante, na alimentação de bovinos, garantindo qualidade e segurança alimentar.

O mercado de ureia industrial tem se mostrado estável. Em 2020, tivemos forte demanda por móveis devido à combinação de um ciclo imobiliário de juros baixos e uma maior permanência das famílias em casa em função da Covid-19, que incentivou o consumo de bens para proporcionar mais conforto doméstico. Em 2021, as exportações de painéis mantiveram este mercado de fabricação de resinas muito ativo. Já na ureia pecuária, o aumento do consumo doméstico e externo de proteína animal ajudou a manter um forte consumo de ureia pecuária. A ureia automotiva tem apresentado um crescimento robusto, mas acreditamos que muito aquém do real potencial de mercado.

Desafios na produção dos fertilizantes

O grande foco de preocupação para todos os fabricantes globais de ureia é o custo atual do gás, matéria-prima fundamental para a produção de ureia. Este aumento impressionante, passando de $5 por milhão de BTU em março de 2021 para $33 por milhão de BTU em novembro de 2021, tendo como base a referência JKM, coloca muita pressão sobre os fabricantes e já vemos algumas plantas sendo paradas temporariamente em vários países.

A Unigel está muito bem posicionada para abastecer o mercado brasileiro com todos os tipos de ureia. Produzimos a ureia fertilizante, industrial, pecuária e automotiva. Também somos fabricantes de ARLA 32 e sulfato de amônio.

Em resumo, a Unigel está muito satisfeita por ter entrado neste mercado de ureia. Já geramos 1.500 empregos diretos e indiretos, e passamos a ser uma alternativa viável para vários consumidores brasileiros. Nosso principal desafio será o preço do gás, que é crucial para termos um custo competitivo para produção de ureia. No mais, estamos muito bem preparados para abastecer o mercado brasileiro de nitrogenados.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo