Mercado

Crise elétrica na China pode afetar oferta de fertilizantes e defensivos

Impactos na produção de energia elétrica e a desaceleração econômica na China poderão afetar o agronegócio brasileiro. Por isso, é preciso estar alerta. Assim como o Brasil, a China vem enfrentando forte elevação dos preços da energia elétrica, além de interrupções no seu fornecimento, o que por sua vez impacta no ritmo das atividades industriais e, consequentemente, eleva os riscos para o agronegócio brasileiro, que utiliza das importações vindas da China para abastecer os estoques de alguns fertilizantes e defensivos.

De acordo com análise do Itaú, caso esses eventos tenham reflexos relevantes sobre o crescimento econômico chinês, dúvidas surgem sobre quais seriam os impactos sobre as exportações de produtos agropecuários brasileiros.

As razões para a alta do preço da energia estão atreladas ao aumento da demanda neste período de transição da pandemia, ao cenário climático mais desafiador, ao aumento de preços do gás, combustível também utilizado na geração a partir das térmicas, e restrições de produção a partir da queima de carvão – fonte primária de energia do país, que representa 60% do total – derivadas das preocupações ambientais e dos compromissos assumidos de redução de emissões.

“Além disso, como o governo federal controla o preço da energia no país, essa apreciação das cotações do carvão e do gás implica em reduções das margens das usinas elétricas, o que desestimula o aumento da oferta”, explicam os analistas do Itaú.

O cenário se soma a outros efeitos colaterais da pandemia como a explosão dos preços dos fretes marítimos, escassez de contêineres e lentidão nas operações portuárias, com o mundo reduzindo as restrições de mobilidade, o que vem gerando forte demanda por matérias-primas e produtos acabados, ao mesmo tempo em que a oferta não tem conseguido responder com a devida velocidade.

Hoje a China é a principal parceira comercial do agronegócio brasileiro, tendo sido responsável por aproximadamente 34% do total das exportações do setor em 2020.

Revistarpanews, 30/09/2021

Fonte da Imagem: Unsplash 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze + 9 =

Botão Voltar ao topo