Mercado

Nutrien teve queda no volume de vendas no segundo trimestre

A canadense Nutrien publicou seus resultados do segundo trimestre de 2021. Para os fertilizantes nitrogenados, as vendas de Ureia apresentaram baixa de 18% em relação ao mesmo período de 2020 e a Amônia teve baixa de 11%, enquanto as soluções de nitratos e sulfatos registraram alta de 4%. Para fertilizantes fosfatados, houve baixa de 17% no volume vendido. Os potássicos tiveram queda de 2% para vendas na américa do norte e alta de 1% para vendas ao redor do mundo.

No plano financeiro, o faturamento foi positivo para os três tipos de fertilizantes, apesar dos volumes totais vendidos apresentarem queda. A empresa aponta que a alta de preços se deve à fatores como aumento do custo de matéria-prima, câmbio do dólar canadense e baixa na produção.

Como previsão para o próximo semestre, a Nutrien acredita que, para a Ureia, a priorização chinesa de produção para o mercado interno ajude a conter os preços internacionais e restringir as importações indianas, indicando que apesar dos grandes aumentos do preço do carvão, matéria-prima do produto, as negociações têm sido lucrativas para o país. Além disso, o gás natural nos EUA e em Trinidade e Tobago tiveram alta tanto no segundo trimestre, 81% mais alto que o mesmo período de 2020, quanto no semestre, com custo total 59% maior que em 2020.

Para potássicos, a previsão da empresa para 2021 é que o Cloreto de Potássio tenha como principal destino a América Latina, com 15,5 milhões de toneladas, atribuído principalmente ao plantio de milho e soja. Em seguida aparece a China com volume um pouco menor, de 15 milhões.

O Canadá é o principal produtor de KCl do mundo. Em 2020 e em julho desse ano foi a maior origem de importações para o Brasil, representando 31,12% do total importado no ano passado e 33% do total em julho.

Nutrien , 25/08/2021

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × quatro =

Botão Voltar ao topo