Produção

Fábrica de fertilizantes da Heringer retomará as atividades em Sergipe 

Instalada em Sergipe há 16 anos, a Fábrica de Fertilizantes Heringer prepara-se para reativar as atividades no estado no mês de julho. A empresa, que tem um longo histórico de investimento e participação no setor agrícola brasileiro e é conhecida por ser uma das maiores em atividade, possui uma unidade em Rosário do Catete e encontra-se em processo de recuperação judicial. A unidade retoma a produção após a divulgação dos resultados positivos das demais plantas da empresa no país no primeiro trimestre. 

Em 2018 a Companhia foi afetada por diversos fatores que vieram a prejudicar o andamento de sua produção, como a desvalorização cambial, o aumento dos preços das matérias-primas no mercado internacional e alta dos custos logísticos. No ano seguinte, a Heringer preparou um plano de recuperação judicial com o intuito de reestruturar seu passivo, levantar o capital de giro e saldar os débitos com seus credores. 

Dois anos depois, a empresa conseguiu gerar lucratividade e iniciou o processo de reativação de suas unidades. Segundo o gerente regional da Heringer, João Paulo Masculi, os bons resultados, desde a reestruturação da empresa, têm sido peças-chave para o retorno da Companhia em Sergipe. “Estamos bem esperançosos. A empresa está voltando a expandir o negócio e como Rosário do Catete é uma das principais filiais nessa retomada, decidimos reabrir a unidade”, informa. 

O gerente da Heringer em Sergipe, Tiê Prata, afirma que um dos fatores definitivos para a reabertura da unidade no estado é o crescimento do mercado de fertilizantes na região. “Nossa unidade conta com uma boa estrutura e estamos muito bem localizados em relação à logística, afinal estamos próximos ao Porto de Sergipe e produtores de matérias-primas como a ureia, cloreto de potássio e sulfato de amônio”, destaca. 

Outro fator importante para a reabertura são os benefícios fiscais concedidos à empresa por meio do Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI), política de desenvolvimento econômico oferecida pelo Governo do Estado de Sergipe. A Heringer recebeu benefício fiscal com um prazo que vai até dezembro de 2028. 

“O PSDI é essencial e foi um dos fatores levados em consideração na nossa retomada. O apoio do Governo através dos benefícios ofertados pelo Programa foi de suma importância. O mercado de Sergipe é bom, mas ainda é pequeno dentro do todo. Então temos que atingir outros mercados e o PSDI viabiliza a redução do ICMS para fora do estado. Sempre tivemos portas abertas no Governo de Sergipe”, ressalta João Paulo. 

Só Sergipe, 31/05/2021.

 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove + dez =

Botão Voltar ao topo