Com grande movimentação de fertilizantes, porto seco de foz mantém grande volume de liberação de cargas


O Porto Seco continua com grande movimentação neste primeiro semestre de 2017 com a liberação de um total de 78.275 caminhões. No mesmo período do ano de 2016 a quantidade foi de 81.268 cargas. Ao comparar estes valores fica evidenciado apenas um decréscimo mínimo na movimentação de aproximadamente 4%.

O principal responsável por todo esse fluxo de cargas foi a operação de importação, que se manteve no patamar de aproximadamente 30.000 cargas liberadas, com destaque para as commodities agrícolas produzidas pelo Paraguai. Este segmento de commodities continua como importante no cenário nacional com o valor aproximando de R$ 1,4 milhões neste primeiro semestre.

Dentro dessa operação os gêneros mais importados foram os cereais como exemplo o milho, trigo, arroz e soja; seguidos dos produtos da indústria de moagem como o malte e amidos; finalizando com os produtos hortícolas exemplificados por plantas, raízes e tuberculosos.

Pelo lado da exportação verificou-se um aumento de aproximadamente 6% na movimentação de cargas, finalizando este primeiro semestre com 34.086 cargas, em contrapartida ao mesmo período de 2016, quando 32.206 caminhões carregavam cargas de exportação. Um fator determinante para este resultado positivo foram as alterações cambiais no período.

Os principais gêneros exportados em 2017, por ordem de valor, foram: adubos ou fertilizantes; máquinas; papel e obras de pasta de celulose; plásticos e suas obras; veículos e tratores; e ferro e aço fundidos.

Partindo-se do ponto de vista comercial, o fluxo total de comércio estabelecido via recinto foi de 3 bilhões de dólares. Dessas divisas, US$ 1,71 bilhões foram oriundas de exportação e US$ 1,37 bilhões de importação. Consequentemente, em comparação com o primeiro semestre de 2016, a balança comercial ficou positiva em 341 milhões de dólares.

O resultado superavitário foi o destaque neste primeiro semestre, pois, no mesmo período de 2016, o resultado havia sido deficitário. Além disto, houve um crescimento expressivo das operações de exportação no montante de 65%, principalmente pelas operações com o Paraguai que totalizaram US$ 1,5 bilhões.

Os quadros da sequência apresentam os pesos e valores totais das cargas de importação e de exportação que ingressaram no Porto Seco de Foz do Iguaçu no primeiro semestre dos anos de 2016 e 2017, com o detalhamento do país de procedência/destino, bem como a evolução percentual dos respectivos valores.

Tais resultados fazem do Porto Seco de Foz do Iguaçu o maior da América Latina no quesito movimentação de cargas, tendo como destaque a operação de exportação para o Paraguai, que representa 70% de toda a operação do período.

 

Click Foz, 26/07/2017



Cadastre-se e receba semanalmente e gratuitamente direto em seu e-mail a Newsletter do GlobalFert.



© 2017 GlobalFert - Todos os direitos reservados

Principal provedor de informações
estratégicas no mercado de fertilizantes